Cirurgia do coração veia entupida: você sabe o que é?

Veia entupida tem sido um problema muito comum e, dentre os possíveis tratamentos, com certeza um dos mais conhecidos é a cirurgia do coração veia entupida. Então, se você quer saber um pouco mais sobre esse assunto, basta continuar nesse artigo que iremos explicar todos os tópicos em detalhes.

A cirurgia do coração veia entupida tem se tornado mais comum à medida que o tempo passa. E isso acontece porque as pessoas têm relegado os cuidados essenciais para evitar problemas mais graves. Então, através dessa matéria, iremos esclarecer algumas questões que permeiam esse assunto. Confira.

O que é cirurgia do coração veia entupida?

A cirurgia do coração veia entupida nada mais é que uma intervenção médica cujo objetivo é justamente reverter esse quadro clínico. No entanto, para chegar nessa conclusão, o paciente precisa passar por uma bateria de exame, até mesmo para que o médico consiga ter uma melhor noção sobre o caso.

É fácil ententeder o assunto. Imagine que as suas veias e artérias são o trânsito de uma cidade. Quando as ruas (veias) estão limpas e sem trânsito, os carros andam de uma maneira muito mais fluida e chegam aos seus destinos muito mais rápido, certo?

No entanto, quando há algumas obstruções nas vias, o trânsito tende a atrasar para que você chegue ao local desejado, correto? Então, com as nossas veias, é exatamente a mesma coisa! O fluxo sanguíneo segue quando as veias são limpas. 

Contudo, quando você adquire hábitos ruins, as suas veias tendem a começar a entupir, ou seja, elas se “fecham”. Como consequência, o fluxo sanguíneo, o trajeto que o sangue deve fazer para chegar no local, é feito com mais dificuldade. E isso induz alguns problemas.

Por que a veia entope?

A grande parte das pessoas que se submetem a uma cirurgia do coração veia entupida porque não sabem quais hábitos ocasionam o entupimento. Quando abordamos esse tópico, é bem provável que você, de imediato, pense que comidas gorduras contribuem para esse fato.

E isso é verdade. Dentre os piores alimentos para o coração, com certeza o que está no topo são aqueles ricos em gorduras trans, frituras e até os produtos industrializados. Além de favorecer o entupimento dos vasos, ainda aumenta as chances de AVC, infarto e outras disfunções cardíacas.

No entanto, o que algumas pessoas não sabem é que há outros fatores que contribuem para que as veias entupam. E saber disso é uma das formas de evitar a cirurgia do coração veia entupida. Nos tópicos abaixo, falaremos sobre alguns fatores que contribuem para esse problema.

Sedentarismo

Pessoas sedentárias têm mais chances de desenvolver esse problema, uma vez que há menos circulação sanguínea. Sendo assim, exercitar-se é uma das formas de evitar entupimento, além de reduzir o nível de colesterol.

Idade

A idade também é um fator que influencia no entupimento das artérias. De acordo com alguns estudos, pessoas que possuem entre 50 e 70 anos possuem uma maior predisposição para que as artérias sofrem desse problema.

Sexo

A grande parte das pessoas não sabem. No entanto, pessoas do sexo masculino são mais propensos a esse problema. Não é à toa que a cirurgia do coração veia entupida é mais realizada em homens. Contudo, após a menopausa, as mulheres podem ser igualmente acometidas.

Tabagismo

Esse é um hábito que pode aumentar em até nove vezes as chances de desenvolver esse problema. Contudo, caso a pessoa abandone esse hábito, a predisposição pode diminuir.

Hiperlipidemia

Pessoas que têm altos níveis de gorduras no sangue possuem mais chances de que as veias fiquem entupidas, em especial quando há colesterol aumentado.

Como é feita a cirurgia do coração veia entupida?

A verdade é que existe mais de uma cirurgia quando há alguma veia entupida. Por isso, nos tópicos seguintes, iremos falar um pouco mais sobre cada um dos procedimentos. Portanto, não deixe de conferir para se manter bem informado.

Ponte de Safena

Esse é o tipo de cirurgia mais comum, uma vez que se trata de um procedimento usado há muitos anos e que rara são as vezes em que apresenta algum risco. Para cirurgia do coração veia entupida é usada a veia de safena.

A veia safena se estende do tornozelo até a virilha, em ambos os membros inferiores. Trata-se de um conduto vascular longo e, por isso, divide-se em alguns segmentos, de acordo com a necessidade da cirurgia. Mas, em suma, essa cirurgia é feita da seguinte forma:

  1. Anestesia geral no paciente;
  2. Envolve-se um tubo na traqueia, para facilitar a respiração;
  3. Retira-se uma parte da veia safena;
  4. É feito um corte no tórax, para ter acesso às artérias do coração;
  5. Costura-se a veia safena no local apropriado;
  6. Fecha-se o tórax com suturas especiais.

Angioplastia

Essa cirurgia do coração veia entupida é uma das opções para quando uma pessoa apresenta um infarto. Mas, antes de fazer a cirurgia, o médico pode fazer um cateterismo, para averiguar quais artérias foram obstruídas.

Contudo, é por meio desse mesmo método que o cardiologista pode dilatar a artéria entupida e, se julgar necessário, implantar uma malha metálica, que se chama stent. O stent serve para sustentar a reabertura da artéria.

É uma cirurgia um pouco menos invasiva, no entanto, muitos médicos ainda se questionam sobre quando optar pela ponte de safena e quando seguir pela angioplastia. 

Como detectar uma veia entupida?

Antes de chegar na cirurgia do coração veia entupida, o médico precisa obter um diagnóstico preciso, para saber se o problema é realmente esse. A grande maioria das pessoas acham que isso só pode ser observado através do cateterismo, mas não é bem assim.

Detectar tais entupimentos pode ser menos invasivo, como testes ergométrico, cintilografia do miocárdio, ecocardiografia ou até mesmo mediante uma ressonância magnética, por exemplo. O cateterismo até é uma opção, mas por ser muito invasivo, ele não é a primeira opção.

Na verdade, apenas se opta por essa alternativa quando o paciente apresenta um quadro bastante instável, onde há riscos de o problema evoluir para um infarto do miocárdio ou quando os exames anteriores mostram grande área do músculo cardíaco com irrigação deficiente.