Cirurgia de CIA no coração: o que é?

Esse tipo de problema pode estar presente na vida de uma pessoa desde o nascimento. Sendo assim, uma hora ou outra a cirurgia de CIA no coração deve passar a ser cogitada. Contudo, se você tem algum receio a respeito desse assunto, continue nesse artigo que iremos falar sobre todos os detalhes a respeito desse procedimento.

Você sabe como a cirurgia de CIA no coração style=”font-weight: 400;”> é feita? Como é o pós-operatório ou riscos desse procedimento? Será que essa é a única opção para resolver esse problema? É normal que você possua todas essas dúvidas. No entanto, no artigo de hoje, iremos abordar essas questões com mais detalhes. Então, não deixe de conferir.

O que é CIA?

Antes de falarmos sobre a cirurgia de CIA no coração, primeiro você deve saber do que ela se trata. A Comunicação Interatrial, também chamada de CIA e/ou cirurgia para tapar furo no coração, nada mais é que uma patologia congênita do coração. Para quem não sabe, a patologia congênita se refere às doenças que acompanham uma pessoa desde o seu nascimento.

Então, a CIA nada mais é que um defeito genético ou má formação. Essas alterações tendem a surgir na formação do feto. Na grande parte das vezes, identifica-se as doenças congênitas logo nos primeiros meses de gravidez. Quando não, o pediatra pode identificar durante o 1° ano de vida.

Mas o que exatamente é CIA? É normal que o coração possua dois lados: o esquerdo e o direito. Em cada um desses lados há uma parte superior, que recebe o sangue, os quais se chama átrios. A parte inferior, que bombeia o sangue para frente, chama-se ventrículos.

Portanto, o ventrículo direito tende a bombear o sangue para os pulmões, através da Artéria Pulmonar, sendo que o ventrículo esquerdo bombeia sangue para o corpo, através da aorta. A CIA é uma abertura na parede (septo) que separa o átrio direito do átrio esquerdo.

É normal que o coração se comunique apenas com o seu semelhante, ou seja, átrio direito se comunica apenas com ventrículo direito, enquanto o átrio esquerdo, comunica-se apenas com o ventrículo esquerdo. No caso da CIA, ocorre de os dois átrios se comunicarem, o que é um problema.

Quais são os riscos da CIA?

Quando uma pessoa sofre de comunicação Interatrial, ocorre dos dois átrios se comunicarem. Mas qual é o problema nisso? O lado direito, que é responsável por receber o sangue e mandar oxigenado para o pulmão, acaba recebendo, também, o sangue oxigenado que vem do lado esquerdo.

Como consequência, as cavidades do lado direito acabam aumentando. No entanto, de início, a pessoa que possui esse problema nem sequer cogita a possibilidade de passar por uma cirurgia de CIA no coração. E isso acontece porque a pessoa pode viver anos sem sentir qualquer sintoma.

Ainda que seja uma doença que está presente desde o nascimento, caso ela não seja diagnosticada cedo, o paciente pode nem sequer notar que há algum problema.

E é por essa razão que a CIA é mais comum no adulto, por exemplo.

A cirurgia de CIA no coração é comum?

Mais ou menos. De acordo com o Centers for Disease Control and Prevention norte-americano, uma pessoa a cada 800 nascimento possui essa má formação, que ocorre durante a fase embrionária. É um número um tanto alto, haja vista que, mensalmente no Brasil, nascem cerca de 200 mil bebês.

No entanto, mesmo os números sendo bem grandes, a cirurgia de CIA no coração não é recomendada para todos os casos. Na verdade, a depender de algumas características, é possível tratar esse problema através de outras alternativas.

Como é feita a cirurgia de CIA no coração?

Como dito, nem sempre a cirurgia de CIA no coração é a primeira alternativa. No entanto, a depender de algumas circunstâncias, essa pode ser a melhor opção. Nesse caso, a indicação da cirurgia vai depender de uma cuidadosa avaliação da condição clínica.

Afinal de contas, alguns problemas de saúde ou até a idade do paciente podem deixar o caso um pouco mais complicado. Contudo, a cirurgia de CIA no coração é um procedimento cujo os resultados são excelentes, caso seja bem executado.

A cirurgia requer a abertura da cavidade torácica e a parada do coração. Isso se faz com o auxílio de uma máquina coração-pulmão. Feito isso, o cirurgião deve fechar o defeito, que pode necessitar de um implante de material protético.

Se você ficou se perguntando, quanto tempo dura uma cirurgia de coração de CIA, aqui está a resposta. Para esse tipo de cirurgia, a pessoa deve passar pela anestesia geral e, em relação à duração da cirurgia, ela é de 1 a 2 horas. Após a operação, o paciente ainda fica internado por cerca de 5 dias, sendo que a recuperação gira em torno de 20 a 30 dias.

Qual a outra opção além da cirurgia de CIA no coração?

Nem sempre a cirurgia de CIA no coração style=”font-weight: 400;”> é a primeira opção. Às vezes, a depender de algumas circunstâncias, o médico pode optar por uma outra alternativa, que é chamada de cateterismo cardíaco, cujo índice de sucesso é bem alto.

Nesse procedimento, o médico introduz um cateter na região da virilha. Dentro desse cateter, fica acoplada uma prótese, a qual é guiada através da aorta, até que ela fique posicionada na abertura do átrio do coração.

Feito isso, libera-se a prótese. Ao posicionar da forma correta, remove-se o cateter e o procedimento se encerra. Contudo, após a remoção, o local onde foi feita a punção é enfaixado, para evitar com que o paciente sangre pelo local.

Ademais, o paciente deve ficar 24h com a faixa após o procedimento. Fora isso, durante alguns dias, o paciente deve ficar em observação. Portanto, é normal que você fique conectado a um monitor cardíaco e a um acesso venoso, mas isso por algumas horas.

Fora isso, sua frequência cardíaca, pressão sanguínea e o local onde foi feito o cateterismo são averiguados com certa constância. 

Fique com a perna parada por 6 horas para a remoção do introdutor.